Categorias
Publicidade 3

13º Salário

Mais um benefício adquirido pelo Sindicato

Categorias
Publicidade 3

Aviso Prévio

Mais um benefício adquirido pelo Sindicato

Categorias
Publicidade 3

Férias Remuneradas

Mais benefícios conseguido por Sindicatos

Categorias
Publicidade 3

Falta Justificada

Mais um benefício conquistado pelos Sindicatos

Categorias
Publicidade 2

Desenvolvimento Empresarial

DESENVOLVIMENTO ESTRATÉGICO
DE VENDAS NO MERCADO LIVRE
AMERICANAS, MAGAZINE LUIZA, OLIST, SHOPTIME, SHOPEE,
ENTRE OUTROS MARKETPLACES

DESENVOLVIMENTO DE SITES E
E-COMMERCE DE ALTA PERFORMANCE

MAPEAMENTO DE OPORTUNIDADES
NO MERCADO ONLINE

CONSULTORIA EM GESTÃO EMPRESARIAL

CONSULTORIA EM DESENVOLVIMENTO
DE NEGÓCIOS ONLINE

CONSULTE OUTROS SERVIÇOS

Fale com nosso consultor em 31 9 9999 1050

Categorias
Campanhas

Aumento de exportações industriais traria R$ 376 bi para economia

Retorno a níveis de 2008 preservaria 3,07 mi de empregos no Brasil

Trabalhador perde R$ 1,1 bi por ano com financiamento do BNDES a exportação de serviços, diz estudoCrédito: Divulgação

O retorno das exportações da indústria brasileira aos níveis de 2008 traria até R$ 376 bilhões por ano para a economia do país e preservaria 3,07 milhões de empregos. A estimativa foi feita pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e será apresentada hoje (18), no Encontro Nacional da Indústria 2020, evento que ocorre de maneira virtual neste ano. O levantamento considerou os impactos diretos e indiretos, assim como o pagamento de tributos e o aumento da renda, de um eventual aumento nas exportações de manufaturados ao pico, observado no fim da primeira década do século. De 2005 a 2008, o Brasil exportou, em valores totais, 0,8% dos produtos industrializados em todo o planeta. De lá para cá, a participação caiu para 0,6%. De acordo com a CNI, caso a participação tivesse sido mantida, as exportações industriais subiriam dos atuais US$ 82,2 bilhões por ano para US$ 105,3 bilhões anuais, alta de 28,1%. Segundo a entidade, cada US$ 1 bilhão exportado a mais por ano gera R$ 4,4 bilhões para a economia brasileira – em impactos diretos, indiretos, sobre impostos e sobre renda – e sustentaria 36.004 postos de trabalho. DesafiosPara aumentar as exportações da indústria brasileira, a CNI considera necessário maior grau de inserção das empresas brasileiras no mercado internacional. Segundo o diretor de Desenvolvimento Industrial da CNI, Carlos Eduardo Abijaodi, o Brasil precisa combinar a abertura comercial com a reforma tributária, que aumentaria a competitividade dos produtos brasileiros no exterior. O fortalecimento das medidas de defesa comercial, com a aplicação de retaliações a países que subsidiam exportações, como a China, também é apontado pela entidade como medida necessária. Apenas em 2019, ressalta a CNI, o Brasil importou US$ 5 bilhões em produtos com subsídios condenados pela Organização Mundial do Comércio (OMC). A CNI também defende a desburocratização do comércio exterior, a redução de barreiras comerciais em terceiros mercados, investimentos em logística e infraestrutura para o comércio internacional e a concessão de financiamentos e de garantias às exportações como medidas complementares para impulsionar a conquista de mercados internacionais pelas indústrias brasileiras. Por causa da pandemia de covid-19, as exportações de manufaturados brasileiros caíram 20% de janeiro a setembro, em relação ao mesmo período de 2019.

Categorias
Publicidade

Todos contra Covid 19

Categorias
Artigos

Caixa credita R$ 1,3 bi de auxílio para nascidos em novembro

No total, são 3,4 milhões de beneficiários com crédito liberado hoje

CaixaCrédito: Fernando Frazão/Agência Brasil

Beneficiários do auxílio emergencial nascidos em novembro recebem hoje (18) crédito nas contas poupança social, no total de R$ 1,3 bilhão. São 3,4 milhões de brasileiros que fazem parte do ciclo 4.

Desse total, 624,2 mil receberão R$ 408,8 milhões referentes às parcelas do auxílio emergencial. Os demais, 2,8 milhões, serão contemplados com a segunda parcela do Auxílio Emergencial Extensão, em um montante de R$ 907 milhões.

A partir de hoje, os valores já podem ser movimentados pelo aplicativo Caixa Tem para pagamento de boletos, compras na internet e pelas maquininhas em mais de 1 milhão de estabelecimentos comerciais.

O benefício, criado em abril pelo governo federal, foi estendido até 31 de dezembro por meio da Medida Provisória (MP) nº 1.000. O Auxílio Emergencial Extensão será pago em até quatro parcelas de R$ 300 cada e, no caso das mães chefes de família monoparental, o valor é de R$ 600.

A Caixa lembra que não há necessidade de novo requerimento para receber a extensão do auxílio. Somente aqueles que já foram beneficiados e, a partir de agora, se enquadram nos novos requisitos estabelecidos na MP, terão direito a continuar recebendo o benefício.

Saques e transferências para quem recebe o crédito nesta quarta-feira serão liberados a partir do dia 5 de dezembro.

Hoje, a Caixa também paga a terceira parcela do Auxílio Emergencial Extensão para 1,6 milhão de beneficiários do Bolsa Família com NIS final 2.

Categorias
Artigos

Indústria da cerâmica deve seguir crescimento

Em homenagem ao dia do ceramista, 28 de junho, as indústrias de cerâmica que integram o Arranjo Produtivo Local Terra Cozida do Pantanal, na região norte do Estado, realizaram neste sábado (14/06), na cidade de Rio Verde de Mato Grosso, a 2ª Festa do Ceramista – Ação e Cidadania, com atividades de lazer, saúde, educação e prestação de serviços à comunidade.

Realizado na Escola Estadual Thomaz Barbosa Rangel, o evento destacou a importância sócio-econômica que as cerâmicas desempenham no Estado, valorizou o profissional ceramista e promoveu sua integração com a população entorno. Durante todo o dia foram oferecidos serviços de emissão de carteira de trabalho; corte de cabelo; atendimento jurídico; orientações sobre financiamentos bancários; exames médicos e atividades educativas do Circuito Saúde do Sesi, atendimento da Cozinha Brasil, gincanas esportivas e comercialização de peças de artesanato.

A Festa foi organizada pelo APL, Sebrae, Sesi, Senai, Fiems, Uniderp e prefeituras de Coxim, Rio Verde e São Gabriel do Oeste. Segundo o presidente do APL Terra Cozida do Pantanal e empresário, Natel Moraes, a estimativa é que seis mil pessoas tenham sido atendidas durante o evento. “O resultado oficial sai na terça-feira (17/06), e está sendo preparado o relatório final pela Uniderp. A festa atendeu nossa expectativa e já estamos preparando para o próximo ano, com outras novidades”, diz.

Na gincana ceramista, a vencedora da categoria profissionais do setor foi a Cerâmica Nossa Senhora Aparecida de Coxim, e recebeu R$ 1.000,00, e o primeiro lugar da categoria comunidade ficou com a Escola Municipal Vergilino, com prêmio de R$500,00. Ambas obtiveram maior pontuação nas provas de cabo de guerra, arremesso de argila, empacotamento de lajota e no torneio de futebol na argila.

Marco para a região

Na solenidade de abertura do evento, realizada na sexta-feira, dia 13, às 20 horas, o presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae/MS e empresário ceramista em Rio Verde, Luiz Claudio Fornari, destacou a importância das indústrias cerâmicas para a região. “O norte tinha problemas por não acompanhar o crescimento do Estado. Aos poucos, as pessoas que acreditaram nesta terra investiram em suas potencialidades e hoje a segunda festa do ceramista marca a região com esta vocação, que modifica nosso mapa econômico, porque habilita a região a acompanhar este desenvolvimento fantástico pelo qual Mato Grosso do Sul passa atualmente”.

Para Fornari, o rastreamento de novas argilas e a criação de produtos diferenciados sinalizam que o pólo industrial das cerâmicas será destaque no cenário nacional. “O norte representava um peso para o Estado e agora passa a ser um grande contribuinte, mas o principal é que este segmento proporciona a inclusão, oferecendo, uma grande oportunidade para todos os trabalhadores, famílias e comunidade. Os primeiros projetos, as primeiras indústrias foram acompanhados pelo Sebrae e até hoje somos parceiros porque acreditamos neste trabalho”, diz.

Indústria Ativa

Na região norte, 12 indústrias de cerâmica estão instaladas nas cidades de Rio Verde, Coxim e São Gabriel do Oeste. Segundo o presidente do APL, Natel Moraes, o setor cerâmico no Brasil tem faturamento anual de 6 bilhões de reais, crescimento de 8% previsto para este ano e de 12% para 2009. “Mato Grosso do Sul tem acompanhado este ritmo. Somente em Rio Verde, as cinco indústrias são responsáveis por 500 empregos diretos e mais de 1.500 indiretos”, diz.

Natel mencionou a Expo – MS, realizada pela Fiems, como um incentivo para a representatividade do setor no País. “Depois da Expo – MS, Mato Grosso do Sul passou a ser celeiro do setor industrial no Brasil”, diz.

Para a superintendente do Sesi, Maura Gabinio, a festa do ceramista significa a união do setor industrial e da região norte. “Essas indústrias proporcionam qualidade de vida ao funcionário, aos seus dependentes e à população ao redor, levando saúde, educação, lazer e responsabilidade social”.

Maura explica que a atuação da entidade tem foco no trabalhador da indústria, por meio de ações preventivas de saúde. “É importante trabalhar o viés da prevenção, levando informações para que a sociedade tenha hábitos de vida saudáveis”.

Este conceito de saúde pôde ser conferido durante a festa, na Cozinha Brasil que ofereceu alimentos de baixo custo com alto valor nutritivo, nas gincanas esportivas e no Circuito de Saúde, promovido pelo Sesi, em parceria com a Uniderp – Campus Rio Verde. “O foco é a indústria ativa, atuante, que proporciona o desenvolvimento econômico e que trabalha o seu entorno, com ações de investimento social privado. Saúde é comportamento, corpo e emoção”, finaliza Maura.

Universidade parceira

Cinqüenta acadêmicos das áreas médica, odontológica, jurídica e fisioterapêutica da Uniderp – Campus Rio Verde realizaram atendimento na festa do ceramista. Para o diretor da universidade, Marcos Marques, a ação contribui para aprendizado dos alunos e com a sociedade. “Ano passado, esta ação detectou cinco casos de câncer de mama. Nossa presença na festa é uma maneira de retribuir à comunidade a nossa acolhida nesta cidade há 15 anos”, diz. A Festa do ceramista contou ainda com parceria do Corpo de Bombeiros de Rio Verde, Procon, Sindicer – Sindicato das Industrias de Cerâmica de MS, Rádio Campo Alegre, Stico – Sindicato dos Trabalhadores de Industrias Cerâmicas e Olarias, Câmara Municipal de Rio Verde e Colping Frei Thomaz.

Categorias
Artigos

Trabalhador com jornada reduzida deve receber 13º e férias integrais

Trabalhadores com jornada de trabalho reduzida devem receber férias e 13º salários com base na remuneração integral. No caso dos contratos suspensos, o pagamento será proporcional, considerando os meses em que houve15 dias ou mais de trabalho.

A conclusão está em nota técnica produzida pela Secretaria de Trabalho do Ministério da Economia que analisa os efeitos dos acordos de suspensão do contrato de trabalho e de redução proporcional de jornada e de salário, por meio do Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda (BEM). O programa foi lançado pelo governo federal como uma das medidas para enfrentar a crise gerada pela pandemia de covid-19. Para responder a questionamentos sobre o pagamento de férias e 13° salário para trabalhadores incluídos no BEM, a secretaria produziu a nota técnica.

Segundo a nota, trabalhadores com jornada de trabalho reduzida devem receber as parcelas de 13º e férias com valor integral. “Esta regra deve ser observada especialmente nos casos em que os trabalhadores estiverem praticando jornada reduzida no mês de dezembro”, diz a secretaria. De acordo com a legislação, o 13º salário corresponde a 1/12 avos da remuneração devida em dezembro, por mês de serviço.

Para os contratos suspensos, os períodos de suspensão não devem ser computados como tempo de serviço e para cálculo de 13º. A exceção é para os casos em que os empregados prestaram serviço por mais de 15 dias no mês, que já estão previstos na legislação vigente, favorecendo, assim, o trabalhador. A partir de 15 dias de trabalho o cálculo do 13º é feito como se fosse um mês integral.

“A diferenciação ocorre porque, na redução de jornada, o empregado permanece recebendo salário, sem afetar seu tempo de serviço na empresa, o que permite computar o período de trabalho para todos os efeitos legais. Com a suspensão dos contratos de trabalho, no entanto, a empresa não efetua pagamento de salários e o período de afastamento não é considerado para contagem de tempo de serviço, afetando assim o cálculo das férias e do 13º”, diz a secretaria.

A nota técnica esclarece que os períodos de suspensão do contrato de trabalho não são considerados no cálculo de tempo para ter direito a férias. “Os períodos de suspensão do contrato de trabalho não são computados para fins de período aquisitivo de férias, e o direito de gozo somente ocorrerá quando completado o período aquisitivo, observada a vigência efetiva do contrato de trabalho”, diz a nota.

Entretanto, diz a secretaria, por meio de acordo coletivo ou individual, ou decisão do empregador, é possível considerar o período de suspensão na contagem do tempo e pagar o valor integral do 13º salário e conceder férias.

“Observando-se a aplicação da norma mais favorável ao trabalhador, não há óbice para que as partes estipulem, via convenção coletiva de trabalho, acordo coletivo de trabalho, acordo individual escrito, ou mesmo por liberalidade do empregador, a concessão de pagamento do 13º ou contagem do tempo de serviço, inclusive no campo das férias, durante o período da suspensão contratual temporária e excepcional”, ressalta a nota técnica.

Edição: Nádia Franco

Fonte: https://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2020-11/trabalhador-com-jornada-reduzida-deve-receber-13o-e-ferias-integrais